Em 2010 Rinpoche pediu a Chris e Sydney Jay que desenhassem um programa de liderança e gestão para “ trazer os monges do Instituto Dzongsar em Chauntra para o século 21”. Baseado no trabalho de Chris e Sydney junto à empresa global de consultoria McKinsey & Company, eles conceberam um programa de liderança com três elementos gerais: resolução de problemas estruturados, habilidades de relacionamento e auto-conhecimento. A Fundação Khyentse patrocinou duas sessões de treinamento (ou dois workshops) de dez dias para khenpos e tulkus no instituto em Novembro de 2011 e em Outubro de 2012.

Em 2011 os monges estavam planejando uma grande conferência de khenpos e líderes de muitas shedras na Índia. O problema básico a ser abordado era o seguinte: Como podemos rever nosso currículo e metodologia para adequá-los aos tempos modernos? Os khenpos foram capazes de usar imediatamente as ferramentas de resolução de problemas estruturados e de construção de relacionamentos para obter o alinhamento dentro de sua própria equipe e depois com os demais participantes da conferência.

Em 2012 Chris e Sydney trouxeram um novo membro do corpo docente, Rajiv Ball, que é um dos sócios da McKinsey & Company e um companheiro do Fórum Global de Liderança da McKinsey. Os participantes da oficina usaram a encenação para praticar as habilidades de escutar, fazer perguntas e de afirmação. Outra ferramenta que eles aprenderam foi o Indicador Tipo Meyers-Briggs (MBTI) – provavelmente foi a primeira vez que essa ferramenta foi apresentada em Tibetano. Os monges estavam entusiasmados para aprender sobre MBTI. Eles até construíram pontes e torres de papel para demonstrar o que acontece quando um líder está presente num grupo e quando não há um líder.

Sydney disse, “De todo material que nos apresentamos, os monges pareciam responder com maior entusiasmo a alguns modelos de diferenças interculturais básicos que nos apresentamos no primeiro ano. Usando as suas habilidades analíticas afinadas e curiosidade natural, eles mostraram uma sede genuína por todo o material que foi apresentado.”

Os khenpos são responsáveis por ensinar o darma do Buda para os monges mais jovens e por gerenciar o funcionamento do Instituto Dzongsar. Eles entendem as vantagens de usar métodos modernos de gestão para o funcionamento de uma organização. Ao final da oficina (workshop) em 2012, eles expressaram seu entusiasmo e gratidão para com Chris e Sydney por treiná-los nas melhores praticas de liderança empresarial moderna, personalizando-as para as necessidades do monastério.

Nos dois últimos anos os monges aprenderam habilidades em planejamento, trabalho em equipe, comunicação eficaz, condução de reuniões, o papel da confiança e muito mais. Os khenpos e tulkus não são apenas abertos; eles estão muito interessados em melhorar o seu conhecimento sobre esses assuntos, e a Fundação Khyentse planeja continuar a apoiar esse tipo de treinamento.

Essas habilidades vão ajudar aos líderes dos centros de ensino tradicional não só a administrar os seus monastérios de maneira suave, mas também a ensinar a antiga sabedoria do Buda de uma maneira moderna para os estudantes do século 21.